quarta-feira, 29 de outubro de 2014

O que inspirou a obra “A realidade de Madhu”?

Todas as minhas experiências, todos os livros que eu li, todas as pessoas que conheci, todo artigo que eu li me inspiraram na criação desta obra.

A trama A realidade de Madhu, não foi algo pensado, foi uma criação espontânea que saiu do coração. Não o coração físico. Saiu daquela força que nos unem, da consciência superior, do amor na sua mais pura natureza, da Singularidade - o espaço que pensamos ser o "vazio" é na verdade um elemento básico para a estrutura perceptível da existência, conhecida por vários nomes, como: Energia Etérica, Prana, Chi – foi daí que saiu. Porque sinto que A realidade de Madhu não foi criada por minha personalidade, pelo meu ego. Meu ego foi apenas um servo para uma consciência maior.






A verdadeira criação artística é moldada pela intenção/vontade, mas não a vontade do ego, não intenção no sentido de desejos, mas em uma perspectiva mais abrangente. A consciência superior é a única que cria algo novo e a base dessa consciência superior só se encontra no “vazio” interior, onde habita o amor incondicional, aquela força que nos unem e que faz de nós uma única força.

Só esta força que habita no coração de todos nós é capaz de criar e moldar a realidade. Qualquer pensamento, motivação ou atitude egoísta, apenas repete outros pensamentos egoístas, são apenas “células” transmissoras de uma doença, e nada é capaz de criar; não é capaz de mudar a realidade desta forma.

A realidade de Madhu nasceu deste amor que nos unem. Ou seja, fomos todos nós quem a criamos, meu ego foi apenas o servidor que executou este serviço.

O livro A realidade de Madhu é uma ficção que traz vários ensinamentos incutidos e guardados em metáforas, sonhos e simbologias. Pois a verdade vem de dentro e não de fora. A verdade não está escrita num livro. Nem poderia, pois a verdade vai muito além do pensamento, da mente, da razão, dos cinco sentidos a até mesmo além do sexto sentido. Os símbolos, sonhos e metáforas servem para nos ajudar a despertar a verdade dentro de nós. Existe uma única verdade, mas esta única verdade pode ser vista por diferentes “janelas”, vemos paisagens diferentes, e é por isso que diversidade é tão preciosa. Aprendemos com as diferenças, porque o outro conhece uma paisagem que eu nunca e vi, e com este posso trocar a experiência e passar a ver esta paisagem que ele vê. Com isso, minha consciência vai se expandindo até alcançar a consciência superior.

As metáforas, sonhos e simbologias sabem respeitar a maturidade espiritual de cada um, e oferece a cada
pessoa aquilo que ela é capaz de entender e digerir segundo seu senso crítico. Por isso encontramos muitas metáforas e simbologias em textos tidos como sagrados. Bem como a arte, que é a simbologia expressa pelo coração.

“A Física nos diz agora que se pudermos alterar o campo magnético ou o campo elétrico do átomo, isso literalmente mudaria esse átomo. O coração humano é projetado para fazer as duas coisas.”
“Isso prova que nós literalmente mudamos a realidade com os nossos pensamentos e sentimentos!"
(David Math)

Nosso ego é prisioneiro de cinco sentidos extremamente restritos e limitados. A percepção do mundo ao nosso redor utilizando os cinco sentidos vê um realidade ilusória e transitória, que no livro foi chamada de Realidade Virtual de Lúcifer. A percepção da verdadeira realidade, se encontra no “vazio”, onde somos apenas UM. Esta realidade foi nomeada no livro como Realidade Real da Fonte. A integração destas duas realidades é capaz de criar uma nova realidade. É sobre isso que a história do livro contra. Somos capazes de criar uma nova realidade com o poder do amor ao próximo.  

"Cuide de seus pensamentos; Eles se tornam suas palavras.
Cuide de suas palavras; Elas se tornam suas ações.
Cuide de suas ações; Elas se tornam seus hábitos.
Cuide de seus hábitos; Eles criam o seu personagem.
Cuide de seu personagem, ele determina o seu destino."
 (Lao Tzu)

A realidade se comporta de acordo com a expectativa do observador, porque o observador é a consciência que percebe a realidade, o ato de visualizar/sonhar algo é o ato de criar algo para ser visto, é a consciência que molda o universo todo.

Não devemos tentar fugir dessa realidade. Ela tem um objetivo nobre de existência. Se está aqui e agora, é porque precisa estar, então esteja, aprenda com sua estadia aqui e ajude os outros.

Para mudar a realidade que vivemos precisamos primeiro mudar a nós mesmos, e só no presente isso é possível. A cada presente (presente de Deus!). Pois a realidade é somente um reflexo do nosso interior, precisamos nos enxergar como UM, nossas ações, nossos pensamentos, nossas emoções, tudo é compartilhado pela mesma consciência, precisamos aceitar e criar consciência de que nossas escolhas influenciam em tudo que existe.

Melissa Tobias



Um comentário: